sexta-feira, 20 de junho de 2008

Unilar 2008... sem grandes inovações



Galeria do Design Mineiro


carro da Volkswagen e geladeira da General Eletrics, ilustrando a linha do tempo, logo na entrada do pavilhão

Eu e a Maíra do blog design de móveis
, fomos ao Unilar, feira anual de decoração de design de móveis de Belo Horizonte.

Apesar do bom gosto peculiar, poucas foram as inovações reais apresentadas. Logo na entrada há uma linha do tempo em que pode se encontrar móveis de diferentes períodos históricos. Uma seleção de mobília contemporânea, muito bela por sinal, como por exemplo a cadeira Minas de Ivar Siewers, premiada no Museu da Casa Brasileira em 2005 e a chaise Akaia projetada em 2002 pelo designer Alessandro Alvarenga nos faz questionar: o que aconteceu, o design mineiro parou?

Chaise Akaia e CadeiraMinas

Uma unanimidade foram os amplos sofás para home theater. Ora reguláveis, ora com grandes almofadas, fixas ou soltas, eles traduzem mais uma tendência de comportamento e consumo, do que propriamente de design, já que foram lançados há algumas feiras atrás. Quase todos os expositores tinham sua versão, sem entretanto, marcarem uma identidade própria. Sofás amplos: unanimidade
Algumas das empresas destacaram-se pela qualidade e senso estético refinado. A Estilo&Arte, de Uberlândia, apresentou um mobiliário para quarto antenado com as tendências atuais, como o móvel com subdivisões para objetos pessoais, ideal para pequenos ambientes, com excelente aproveitamento do espaço. Destacou-se ainda pela utilização de pastilhas de côco, um material alternativo que combina sustentabilidade e beleza.
cabeceira revestida de mosaico de côco

A Makorê, mais contemporânea, abusou dos acabamentos refinados e conseguiu explorar ao máximo os materiais, tirando deles o melhor proveito, como no caso da mesa de centro Tittá, com acabamento em pintura titânio e espelho bronze. Aliás os tampos espelhados prometem vir com força total.

Mesa Tittá: acabamento espelhado

A Plastinox lança-se com sucesso no segmento de móveis, usando o que tem de melhor: a tecnologia de materiais metálicos, que combinados à madeira e vidro dão sofisticação aos produtos. Os laminados da Persi Max surpreenderam pela qualidade e praticidade e tradução de tendências mundiais em padrões e estampas que cairam no gosto das decoradoras e dos clientes.Corte a laser: possiblidades infinitas

E por falar em DecoraFácil, dentre os ambientes apresentados, destacaram se a Garagem do Designer, em que as designers solucionaram com criatividade a questão da planta irregular, fazendo disso um atributo do projeto. A decoração contou ainda com a colaboração de alunos da UEMG, que disponibilizaram renderins de automóveis, o que encheu o ambiente de personalidade. A cozinha mineira ilustrou bem a nossa hospitalidade e a boa mesa, com o forno e o fogão à lenha, decoração repleta de elementos artesanais, como souplats e teares. Já o escritório do ambientalista, misturou elementos naturais e muita sofisticação, destaque a estante inclinada à 45° e para a parede de fundo, com escultura em bambu em fundo de serragem, valorizados pela iluminação aconchegante. Aliás as fibras naturais e madeiras exóticas vêm cada vez mais ganhando espaço. A CWT apresentou um lindo papel de parede com fibras, que fez um interessante contraponto com a sobriedade da sala de jantar.papel de parede com fibras, fonte: CWT

Na feira há ainda artesanato e tecidos importados da Ásia, tapetes, utensílios domésticos, esculturas em ferro e com destaque para os trabalhos em cerâmica e o artesanato mineiro.Cooperativa de Ceramistas

Mas apesar de terem bom gosto, tecnologia e acesso à informação, as empresas ainda mantém uma política tímida de investimentos em design e pode-se dizer de uma maneira geral, isso leva a sensação de ver sempre mais do mesmo. Já está na hora da feira de 2008 mostrar produtos de 2008, ou as tendências de 2009, 2010, 2020...

Quando uma empresa se dispõe somente à copiar, está fadada a ser no máximo o segundo lugar, assim, jamais será referência no mercado.

Não vale a pena conferir...

* texto de Young Zeh em colaboração com Design de Móveis.

3 comentários:

William disse...

Bela resenha!

Mas eu quero saber por que não me convidaram pra ir com vcs! =)

Diego disse...

Comento o mesmo do Willian, vc nem me convidou...mas pode deixar. Mudando de assunto, zeh, te mandei um fone de ouvido lindo pra vc poder postar e comentar a respeito. Bjo!!!

Presente Ausente disse...

Bem, antes de mais nada, queria saber conde conseguiu autorização para utilizar a imagem da minha chaise. Segundo, o design mineiro não parou, sinal de que os que realmente se destacam trabalham em grande indústria. Terceiro, se você leu o prospecto da mostra, eram peças que já haviam participado de outras edições da Unilar. Conselho: Trabalhe e mostre seu trabalho ao invés de criticar. Talvez você contribua para que o design mineiro não pare, ou não...